Imposto de Importação e Imposto de Exportação - O Guia Completo de Perguntas Frequentes

O guia de hoje responderá a qualquer pergunta que você tenha sobre direitos de importação e exportação.

Então, antes de você importação da China, leia este guia.

Isso ajudará você a economizar tempo e dinheiro.

Continue lendo para entender melhor o que você deve fazer.

 

O que é Imposto de Importação e Exportação?

Refere-se a um imposto indireto, que muitas vezes é cobrado sobre uma ampla gama de mercadorias importadas e exportadas.

Na maioria dos casos, é sempre conhecido como direito aduaneiro.

Este tipo de imposto é um elemento fundamental no comércio internacional.

O real direitos de importação/exportação muitas vezes varia dependendo de vários fatores predominantes que cercam o comércio.

Na maioria dos casos, porém, o direito aduaneiro é geralmente determinado com base no valor avaliável dos itens, cujo imposto é cobrado ad valorem.

Por que o Imposto de Importação e Exportação é necessário para a Economia de um País?

O imposto de importação e exportação é um elemento integrante do comércio internacional, pois promove o crescimento e potencializa este setor de várias maneiras.

Esse tipo de imposto é essencial para a economia de qualquer país, que importa ou exporta diferentes tipos de commodities.

Algumas das razões pelas quais é crítico para a economia de uma nação em particular incluem o seguinte;

Proteção da indústria nacional – Idealmente, a maioria dos países tende a ter diferentes categorias de indústrias, desde emergentes até estabelecidas.

Direitos aduaneiros, portanto, ajuda a proteger a maioria das indústrias nascentes da conclusão agressiva de nações estrangeiras.

Em essência, ajuda a controlar o crescimento dos fabricantes nacionais para se estabelecer e se tornar formidável no mercado.

Protegendo as oportunidades de trabalho – Os direitos aduaneiros também são essenciais para garantir que um país garanta oportunidades de emprego para seu povo.

Isso, é claro, acontece como resultado de garantir que haja controle e proteção suficientes sobre as indústrias domésticas emergentes da forte concorrência internacional.

Fonte de receita fiscal – O imposto de importação/exportação também é uma fonte fundamental de receita fiscal nacional, especificamente para o governo central.

Serve como um componente para o macrocontrole nacional. Portanto, desempenha um papel vital na determinação da PIB de um país.

Protegendo o meio ambiente – Esse tipo de dever também é essencial para um país, pois o ajuda de uma possível degradação ambiental.

Essencialmente, ele controla os tipos de produtos autorizados a entrar em um país, garantindo que mercadorias proibidas sejam restritas a entrar e sair do país.

Quais são os direitos e impostos para importação de mercadorias na China?

Ao importar ou exportar mercadorias com a China, o ideal é entender os tipos específicos de taxas e impostos aos quais seus produtos estarão sujeitos.

As taxas e impostos de importação/exportação na China tendem a variar dependendo do tipo específico de produto, país e meios envolvidos.

Em muitos casos, existem três tipos de impostos para importação de mercadorias da China, que incluem o seguinte;

Imposto sobre o Valor Acrescentado-Atualmente, todos os produtos importados para a China estão sujeitos a IVA de 9% ou 13%.

O imposto de IVA de 9% está disponível para produtos específicos categorizados nos itens agrícolas e utilitários.

Por outro lado, o IVA de 13% aplica-se a outros itens sujeitos a este tipo específico de imposto.

Taxa de consumo - Refere-se ao tipo de imposto imposto a organizações ou empresas que fabricam, processam, vendem e importam produtos tributáveis.

A alíquota do imposto de consumo para mercadorias na China geralmente varia de acordo com um produto específico.

Em muitos casos, você sempre pode calcular o imposto de consumo usando o método ad valorem ou baseado em quantidade.

Alguns dos produtos tributáveis ​​pelo imposto de consumo da China incluem cosméticos, joias, álcool, tabaco e automóveis, entre outros.

Direitos aduaneiros-É sem dúvida, a maior forma de imposto, que gera a maior quantidade de receita para a economia da China.

Inclui essencialmente direitos de importação e exportação num total de cerca de 8600 artigos sujeitos a este imposto.

Cálculo do direito aduaneiro com base em critérios de quantidade ou ad valorem.

No entanto, o imposto real que você paga como imposto alfandegário depende do tipo ou categoria de um determinado produto.

O Imposto de Importação e o Direito Aduaneiro são iguais?

Não necessariamente, mas há uma correlação formidável entre os dois impostos.

Imposto de importação idealmente é um tipo de imposto frequentemente cobrado sobre bens ou produtos que chegam ao país vindos de outras nações ou destinos.

A taxa específica do imposto de importação depende de vários fatores pré-existentes, como o tipo de produto.

Tarifas

Por outro lado, o direito aduaneiro refere-se a um tipo de imposto indireto, muitas vezes cobrado sobre diferentes tipos de produtos importados e exportados de e para o país, respectivamente.

A diferença aqui é que o imposto alfandegário é coletivo, pois abrange todas as mercadorias que entram e saem do país.

Por outro lado, o imposto de importação cobre apenas as mercadorias ou produtos que entram no país.

Quais são os Tipos de Imposto de Importação?

Existem quatro tipos principais de direitos de importação, que incluem o seguinte;

Dever básico- Refere-se ao tipo de direito imposto sobre o valor dos produtos a uma taxa especificada, uma vez que é fixado em base ad valorem.

É relativamente mais ou menos o mesmo que o imposto especial de consumo central.

Direitos aduaneiros adicionais-É o tipo de imposto frequentemente cobrado sobre mercadorias importadas de fora do país.

Sua aplicação varia de um país para outro.

No entanto, em muitos casos, é geralmente igual ao imposto especial de consumo sobre os mesmos produtos se forem fabricados no mesmo país.

Verdadeiro direito compensatório – Refere-se ao tipo de impostos normalmente cobrados sobre mercadorias, que receberam subsídios governamentais no país de origem importando ou exportando as mesmas.

Direito anti-dumping – É uma espécie de direito aduaneiro de importação, que protege contra o dumping de mercadorias em determinada região de comércio econômico.

Os preços para esta forma de imposto são geralmente um pouco inferiores ao valor normal do produto.

Quem Paga o Imposto de Importação?

O imposto de importação é de responsabilidade exclusiva do proprietário da remessa ou de um despachante aduaneiro.

Na prática, o imposto de importação é cobrado no momento em que o embarque chega à fronteira do país de destino.

Implica, portanto, que todos os documentos de entrada de arquivo relevantes sejam preenchidos no porto de entrada, daí a necessidade de pagamento de impostos estimados à alfândega.

Nesta fase, é o proprietário da remessa ou o corretor designado que garantirá o pagamento do imposto.

Qual é a finalidade do direito aduaneiro na importação/exportação?

O direito aduaneiro desempenha um papel integral nas importações/exportações.

Em primeiro lugar, serve como uma fonte chave de receitas para fomentar o crescimento económico de um país.

Em outras palavras, fornece uma fonte de renda para os governos se movimentarem em diferentes setores de crescimento econômico.

Originalmente, essa era a principal função desse tipo de imposto sobre importações e exportações.

No entanto, com o tempo, tornou-se uma função passiva, especialmente para as nações desenvolvidas.

Em segundo lugar, esse tipo de imposto serve como ferramenta de política comercial, que auxilia na proteção das indústrias nacionais.

Isso acontece ao garantir que altera algumas condições específicas sob as quais as mercadorias competem no mercado local.

Por exemplo, você pode encontrar algumas autoridades impondo taxas baixas ou nulas para importações até um volume específico.

No entanto, as mesmas autoridades podem aplicar alíquotas relativamente altas às importações, que ultrapassam o nível da cota.

Em terceiro lugar, os direitos aduaneiros de importação/exportação servem como remédio para distorções comerciais.

E isso a partir dos aspectos da função punitiva para o dumping de bens ou produtos.

Significativamente, esse dever ajuda a regular a entrada de produtos específicos no país, evitando assim mercadorias proibidas.

O que é um Código do Sistema Harmonizado (HS) para envio?

Refere-se a um código elaborado pela Organização Mundial das Alfândegas como uma classificação internacional multifuncional de produtos que descreve o tipo de mercadoria que está sendo embarcada.

É um código necessário no comércio internacional, pois todos os funcionários alfandegários devem garantir que o usem para desembaraço de qualquer mercadoria que cruze fronteiras transnacionais.

Além disso, o Código HS facilita a interpretação e sincronização de uma ampla gama de procedimentos aduaneiros.

Este código também está em conformidade com os detalhes do Convenções de Kyoto de 1974, o que aumenta a eficiência dos procedimentos e regras de implementação.

Estrutura do código HS

O Anexo B e o Código HS são os mesmos?

Não mesmo!

O código do cronograma B refere-se a um sistema de codificação administrado pela Divisão de Comércio Exterior do censo dos EUA.

É usado especificamente nos EUA para monitorar uma ampla gama de exportações.

Normalmente, o código B tem um total de dez dígitos, sendo os seis primeiros os códigos HS.

Os quatro dígitos extras são essenciais para identificar e classificar as mercadorias.

Por outro lado, o código SH refere-se a um padrão de seis dígitos, comumente conhecido como subtítulo usado na classificação de mercadorias para impostos e taxas.

Os números do HS são constantes em todo o mundo e são administrados pela Organização Mundial das Alfândegas.

No entanto, o código B é usado apenas nos EUA e administrado por um órgão conhecido como Divisão de Comércio Exterior do Census Bureau para estatísticas de exportação.

Outra diferença é que os códigos de programação B devem ser relatados para remessas avaliadas em mais de US$ 2500, ou quando a remessa exige uma licença de exportação.

Os códigos HS, por outro lado, são usados ​​principalmente em faturas comerciais e outros documentos de exportação internacionais.

Qual é a diferença entre o Código HS e o Código Tarifário?

Um código tarifário refere-se a um código específico do produto em conformidade com o Sistema Harmonizado e mantido pela Organização Mundial das Alfândegas.

Esse tipo de código está disponível em quase todos os produtos envolvidos no comércio internacional.

Idealmente, um código tarifário completo pode ter até 10 dígitos, mas não menos de seis dígitos.

Por outro lado, o código HS, também conhecido como código HTS, é usado para classificar e definir produtos, que são comercializados globalmente.

Sobre quais commodities são cobrados os direitos de exportação?

Idealmente, isso depende inteiramente de um determinado país.

Existem produtos de exportação específicos, que são cobrados em um país e isentos de tal imposto em outro país.

Portanto, o imposto de exportação sobre uma mercadoria depende inteiramente de um país específico.


Impostos

Por que você precisa dos números HS/Schedule B e como encontrá-los?

É sempre importante conhecer e ter os números HS/schedule B como trader internacional pelos seguintes motivos;

  • É vital quando se trata de determinar todas as taxas de importação aplicáveis. Enquanto isso, permite que você descubra se o produto é elegível para tarifa preferencial, especialmente sob o Acordo de Livre Comércio.
  • Para auxiliar no preenchimento de documentos de embarque, que incluem certificado de país de origem, entre outros.
  • Para arquivar as informações de exportação eletrônicas no Automated Export System.

Como você calcula o direito aduaneiro?

Para determinar o direito aduaneiro preciso, você deve pagar por um determinado produto; você encontra a soma de diferentes elementos.

Esses elementos incluem frete, valor, seguro e outros custos adicionais.

Depois de encontrar esse total, você o multiplicará pela taxa percentual do imposto.

Mais importante, é entender que diferentes países tendem a calcular os direitos aduaneiros com base em vários aspectos.

Portanto, é vital garantir que você confirme com a alfândega do seu país, site ou transportadora para determinar a porcentagem específica.

Qual é a diferença entre importação e imposto especial de consumo?

O imposto de importação é meramente a taxa que uma determinada mercadoria está sujeita ao chegar ao porto de entrada de um país estrangeiro.

Por outro lado, o imposto especial de consumo refere-se ao imposto cobrado sobre o ato de fabricação de uma mercadoria tributável.

Principalmente, o imposto especial de consumo está sujeito a produtos fabricados localmente.

Então a grande diferença nesse aspecto é uma taxa simplesmente baseada na origem da mercadoria.

O Imposto de Importação é Aplicável à Importação de Serviços?

Absolutamente correto!

Idealmente, o que é muitas vezes referido como Direito Aduaneiro Básico ou BCD será sempre tributado na importação de mercadorias além do IGST.

Com relação à importação de serviços, o destinatário do serviço será responsável pelo pagamento do imposto sobre o serviço.

Isso se o mesmo for oferecido por um indivíduo estrangeiro ou residente fora do país.

Qual a diferença entre Imposto Direto e Indireto no Negócio de Importação/Exportação?

O imposto direto refere-se ao tipo de imposto pago diretamente ao governo por um indivíduo ou uma organização.

Por outro lado, o imposto indireto é cobrado por um terceiro na cadeia de suprimentos em nome do governo.

Principalmente, o consumidor paga esse tipo de imposto pagando mais por uma mercadoria, dado que o imposto já está adicionado ao preço do produto.

A outra diferença notável aqui é que um imposto direto é cobrado sobre a renda e as atividades relacionadas realizadas.

O imposto indireto, por outro lado, incide sobre produtos e serviços.

O imposto direto é muitas vezes pago quando a renda chega às mãos de um contribuinte.

No entanto, no imposto indireto, o pagamento é feito antes que a mercadoria chegue às mãos do contribuinte.

É relativamente difícil transferir o ônus do imposto em caso de imposto direto.

Pelo contrário, é muito fácil transferir o ônus do imposto para o imposto indireto.

A cobrança de impostos indiretos é um pouco difícil.

Tudo depende da boa vontade do contribuinte para remeter as taxas.

Requer estruturas adequadas para garantir que todas as brechas sejam completamente vedadas.

No entanto, o imposto indireto é bastante fácil de recolher, pois a taxa já está atrelada à mercadoria.

Portanto, você só precisa retirá-lo imediatamente; o cliente paga pelo produto.

Quem paga a taxa de exportação no transporte internacional?

Depende de vários fatores.

O principal elemento que determina o pagador do imposto de exportação, neste caso, é a agência marítima.

Alguns agentes ditarão ao exportador como o único responsável pelo pagamento do imposto de exportação.

Em alguns casos, é o importador o responsável pelo pagamento dessa taxa.

Além disso, existem alguns agentes em que um terceiro paga taxas de exportação para remessas internacionais.

Em outras palavras, não há uma parte definida responsável pelo pagamento do imposto de exportação.

Depende de vários fatores predominantes, bem como das várias políticas de uma agência de navegação.

você pode importar mercadorias sem direitos aduaneiros?

Mais definitivamente!

Mas isso depende do tipo específico de mercadoria que você está importando.

Compreensivelmente, existem alguns produtos que estão isentos de direitos aduaneiros.

Esses produtos podem ser doações ou gêneros alimentícios, dependendo da política alfandegária de um país.

Nesse caso, você precisa confirmar especificamente com a autoridade alfandegária do seu país antes de importar mercadorias isentas de impostos.

Onde você paga as taxas alfandegárias ao enviar internacionalmente?

Idealmente, a maioria dos países estabeleceu departamentos diferentes dentro da autoridade alfandegária.

É responsabilidade da autoridade aduaneira garantir que os encargos alfandegários sejam pagos pelo importador, exportador ou terceiro.

Assim, o contribuinte deve assegurar o pagamento dos direitos aduaneiros nas estâncias aduaneiras designadas específicas.

Como você pode reduzir seus custos de importação/exportação?

O direito aduaneiro no comércio internacional é indispensável e inevitável.

No entanto, é sempre necessário garantir que você reduza essas obrigações para o seu negócio para obter uma rentabilidade ideal.

Mesmo assim, é compreensível que a natureza dos negócios internacionais envolva um número significativo de formulários e papelada.

Pode ser cansativo, mas é necessário determinar as melhores formas possíveis de reduzir os custos dos direitos aduaneiros.

Algumas dessas maneiras incluem o seguinte;

Determinar as diferenças tarifárias entre os países – Na maioria dos casos, países diferentes costumam criar novas tarifas sempre que um pedido é feito.

Portanto, é necessário garantir que você confirme o direito aduaneiro específico para cada país e evite assumir que as tarifas são semelhantes entre os países.

Analise as informações – Idealmente, as taxas e impostos estão sempre sujeitos a alterações dependendo de vários fatores prevalecentes.

Você deve, portanto, certificar-se de confirmar as taxas de imposto com frequência e também determinar se as informações são atualizadas ou não.

Nunca seja complacente para confiar em taxas mais antigas todas as vezes.

Usar códigos tarifários – Certifique-se de usar os códigos tarifários corretos para a mercadoria e o país.

Observe cada produto em seu catálogo individualmente e verifique se o código correto se aplica.

Pode ser um pouco demorado, mas, eventualmente, pode valer a pena economizar algumas despesas.

Código tarifário internacional

Determinar os produtos regulamentados – Em vários países, alguns produtos específicos devem estar de acordo com os direitos aduaneiros.

Em alguns casos, você pode incorrer em custos adicionais em commodities com regulamentações especiais, o que geralmente é caro.

A melhor coisa a fazer neste caso como forma de evitar tais casos é descobrir as commodities regulamentadas para um determinado país.

Importando do jeito certo – Por mais que o pagamento da taxa alfandegária seja inevitável, é sempre necessário garantir que você use os canais adequados nesse negócio.

Você pode economizar uma quantia substancial de dinheiro usando os canais e agências certos, em vez de buscar atalhos.

O que é um formulário CBP 29 na importação e exportação?

Exemplo de Formulário CBP

Exemplo de Formulário CBP

Refere-se ao Formulário de Alfândega e Proteção de Fronteiras entregue ao importador ou exportador como notificação da ação.

Idealmente, este formulário é utilizado como ferramenta para comunicar a avaliação das tarefas adicionais do CBP e o início do processo de liquidação.

Em segundo lugar, também é usado para alertar o importador ou exportador da intenção do CBP de avaliar direitos adicionais.

Tecnicamente, quando o CBP 29 é proposto como uma ação, como no importador, isso implica que você tenha cerca de 20 dias a partir da data de emissão para fornecer sua resposta.

A falta de resposta ao aviso no prazo de 20 dias, é assumido pela alfândega que concorda com a ação proposta.

Você pode reclamar de volta o imposto de importação?

Absolutamente correto!

É bem possível reclamar de volta o imposto de importação, que foi pago erroneamente ou em excesso.

Mesmo assim, é vital entender que diferentes países têm estipulações variadas em relação ao processo de reembolso do imposto de importação e juros.

Pode ser relativamente envolvente dependendo da natureza, quantidade e país de origem das commodities.

Em geral, porém, a maioria das estipulações em torno da restituição do imposto de importação prevê a possibilidade de restituição do imposto.

Prevê tanto uma pessoa que pague o imposto por ordem ou avaliação como uma pessoa que tenha suportado o imposto.

Quais são as características do direito aduaneiro?

O direito aduaneiro é único, mas serve quase ao mesmo propósito em todos os países do mundo.

Auxilia principalmente na regulação do controle de negócios domésticos, meio ambiente, empregos e indústrias, entre outros.

Vários fatores determinam a base de cálculo dos direitos aduaneiros.

Alguns desses fatores incluem material do produto, origem das mercadorias, peso e dimensões das mercadorias, bem como o local de aquisição, entre outros.

A estrutura de direitos aduaneiros varia de um país para outro.

O denominador comum na estrutura é o governo central.

Outros dentro da estrutura dependem do número de níveis de governo em um país específico.

É a autoridade aduaneira de um determinado país que é responsável pela cobrança dos direitos aduaneiros.

O que é o Imposto do Selo no Envio Internacional?

Refere-se a um imposto cobrado sobre compras ou documentos de propriedade única.

A taxa de selo é baseada nas taxas nominais ou no valor da transação em determinados instrumentos financeiros.

Algumas das compras de imóveis e documentos sujeitos ao imposto de selo incluem recibos, cheques, transacções de terrenos, recibos de comissões, entre outros.

Idealmente, o imposto de selo real varia de um país para outro.

As modalidades utilizadas na determinação do imposto de selo definitivo também variam de acordo com a natureza da transação.

O que é Despacho Aduaneiro?

Refere-se principalmente ao processo de levar mercadorias através da autoridade ou escritório aduaneiro.

A essência deste ato é facilitar o movimento de remessas do país estrangeiro de exportação para o país de importação.

Geralmente é um processo exigente, pois envolve a verificação de vários aspectos, incluindo as mercadorias e os documentos.

O desembaraço aduaneiro também pode indicar a emissão de documentos pela autoridade aduaneira para um remetente.

Isto é para indicar que todas as taxas em torno das remessas foram pagas, e as mercadorias do expedidor são assim desembaraçadas para exportação.


Desembaraço alfandegário

Como é feito o Despacho Aduaneiro de Importação/Exportação?

Este processo começa imediatamente; você envia todos os documentos relevantes ao oficial de desembaraço aduaneiro.

O funcionário examinará a documentação do seu envio para verificar sua autenticidade e se eles correspondem à remessa.

Todas as remessas internacionais devem ter uma fatura comercial.

É um documento que lista as informações do remetente e do destinatário, incluindo o contato.

Também contém detalhes sobre a remessa, como descrição e valor, entre outros.

A próxima etapa do processo envolve o oficial de desembaraço determinando as taxas e impostos específicos aplicáveis ​​à sua remessa.

Obviamente, isso depende dos tipos de remessa, valor e regulamentos do país importador.

Isso permite que o oficial de desembaraço descubra se todos os impostos e taxas aplicáveis ​​foram pagos antes de aprovar a próxima etapa.

Uma vez que todos os detalhes do desembaraço estejam claros e todos os documentos apresentados condizem com a remessa, ela é liberada e despachada para seu destino final.

Neste ponto, você terá que lidar com seu corretor para ajudar a facilitar o envio da mercadoria para o respectivo destino.

O processo de liberação é tão simples como tal.

O elemento mais importante em todo o processo é garantir que toda a papelada seja feita corretamente.

Ele permite que você fique longe de problemas com os oficiais de desembaraço e também evita inconvenientes desnecessários.

O que é o comprovante de exportação e por que ele é necessário?

Refere-se principalmente a provas documentais indicando que as mercadorias são exportadas e não necessariamente usadas para consumo indígena.

Em outras palavras, é uma combinação de vários documentos correspondentes aos dados do exportador e da remessa.

Pode assumir várias formas, dependendo de vários aspectos que envolvem a remessa.

Por exemplo, se a remessa passou pelo processo de desembaraço aduaneiro no país exportador, o documento seria suficiente.

Há também a necessidade de um conhecimento de embarque marítimo, que indica que os itens foram carregados em um navio de saída específico.

E isso é específico quando a remessa saiu por via marítima e, em alguns casos, o documento pode ser negociável.

Se você estiver enviando a remessa por via aérea, o número da carta de porte aéreo é a prova do documento.

Este documento não é negociável, uma vez que as cartas de porte são muitas vezes emitidas antes do embarque da mercadoria na aeronave.

A essência da prova de exportação é aumentar a eficiência do transporte da mercadoria do país de origem até o porto de destino.

Este documento evita o processo fraudulento de furto de mercadorias em um processo de exportação.

Além disso, é útil para evitar casos de confusão quando se trata de uma remessa específica.

Também ajuda a melhorar o processo de desembaraço na alfândega, tornando-o ideal para evitar inconvenientes imprevistos.

Por quanto tempo a alfândega pode reter suas mercadorias ao enviar internacionalmente?

Geralmente, isso depende bastante de uma ampla gama de fatores.

Os motivos também podem variar de um departamento de alfândega de um país para outro.

Mesmo assim, a alfândega pode reter a remessa pelo tempo que julgar necessário.

Por exemplo, se eles estiverem aguardando informações adicionais específicas sobre a remessa, também pode levar vários dias até semanas até que confirmem o recebimento da mesma.

Também é a mesma coisa, o que acontece se a remessa tiver problemas relacionados à documentação e ao pagamento de taxas alfandegárias.

Além disso, se as mercadorias não atenderem aos critérios estipulados pelo departamento de alfândega de um determinado país, eles poderão retê-la pelo maior tempo possível.

E é por isso que é sempre aconselhável garantir que você verifique se as mercadorias específicas que você está importando para o país são aceitáveis ​​ou não.

Em poucas palavras, não há duração definida, que a alfândega pode escolher para manter suas mercadorias.

Depende de muitos aspectos que envolvem a remessa em si.

O que acontece se você não pagar taxas alfandegárias para importação/exportação?

Você nunca pode tomar posse de qualquer remessa de importação/exportação a menos que pague as taxas alfandegárias.

Na maioria dos casos, qualquer importação/exportação está frequentemente sujeita ao pagamento de direitos aduaneiros dentro de um período específico.

E se você não pagar a taxa dentro do prazo, a alfândega tem o direito de leiloar a remessa e recuperar os direitos e outras despesas devidas.

Além disso, as mercadorias podem ser processadas para descarte após um determinado período.

A outra probabilidade é que a remessa seja transbordada para armazéns de aluguel onde são armazenadas até que o imposto seja pago, seja total ou parcialmente.

Além disso, em alguns casos, a transportadora perguntará ao remetente se deve deixar o pacote no porto de destino ou enviá-lo de volta.

você pode limpar a alfândega por si mesmo?

Mais definitivamente!

É bem possível liberar qualquer remessa por conta própria, mas você deve estar fisicamente presente na alfândega.

No entanto, você precisa entender todos os processos envolvidos para facilitar seu trabalho.

Além disso, você também precisa apresentar todos os documentos e garantir que a papelada seja adequada.

O que são os Documentos de Liberação no Envio Internacional?

Idealmente, os tipos de documentos necessários para o desembaraço aduaneiro dependem da mercadoria que está sendo embarcada.

Além disso, os documentos necessários podem variar de acordo com o país de origem e destino.

Não obstante, há um conjunto específico de documentos envolvidos no transporte internacional.

Eles incluem o seguinte;


Enviando documentos

Fatura alfandegária – É um documento crítico, que contém informações úteis sobre a remessa, como descrição, seguro de frete e peso. Também fornece detalhes como preço de venda, quantidade, entrega e pagamento, entre outros.

Conta de envio – É um relatório, que documenta um registro mensurável.

Fatura proforma – É um documento que ilustra a intenção do exportador de vender determinada quantidade de mercadoria.

Packing list – Este documento abrange todos os itens incluídos na remessa e pode ser comparado com a fatura pró-forma.

Certificado COO – Refere-se a uma declaração fornecida pelo exportador verificando que as mercadorias exportadas foram fabricadas e adquiridas no país específico.

conhecimento de embarque – É emitido pela transportadora para o embarcador e funciona como prova contratual para o transporte de mercadorias conforme descrito pela transportadora.

Licença de exportação – É um documento, que possibilita ao embarcador exportar o envio para um destino internacional. É um documento necessário para emissão na alfândega para desembaraço de mercadorias exportadas.

Letra de câmbio – É mais ou menos uma nota promissória, que permite ao importador desembaraçar pagamentos de mercadorias, seja sob demanda ou a uma taxa fixa.

Recibo de armazém – É um documento geralmente gerado após a liberação de todas as taxas de exportação e fretes aplicáveis.

Bill de vista – É um documento de declaração, que permite ao destinatário das mercadorias verificar o conteúdo antes de efetuar os pagamentos das taxas aplicáveis.

Ordem de Compra – É uma carta muitas vezes do credor, garantindo que o importador honrará o pagamento ao exportador como forma de concluir a transação específica.

Certificado de saúde – É aplicável nos casos em que as commodities envolvidas são produtos alimentícios, sejam eles de origem animal ou não animal.

Apenas certifica que o produto está apto para consumo e foi submetido a todos os testes e verificações padrão necessários antes da exportação.

Precisa de um Despachante Aduaneiro durante a Importação de Mercadorias?

Absolutamente correto!

Todo o processo de desembaraço aduaneiro de embarque costuma ser agitado e pode ser cansativo.

Assim, é recomendável ter sempre um despachante aduaneiro registrado para auxiliá-lo em todo este processo.

Idealmente, um despachante é mandatado para processar os diversos documentos envolvidos na importação nos sistemas aduaneiros.

Este agente também garante que sua remessa seja desembaraçada e liberada da alfândega.

O que é o Processo de Importação?

Refere-se aos procedimentos envolvidos na compra e remessa de mercadorias ou mercadorias de um país estrangeiro.

Esse processo geralmente difere de um país para outro com base em vários aspectos, como requisitos legais, importação e política alfandegária.

O processo de importação geralmente envolve vários estágios, que incluem o seguinte;

  1. Consulta comercial
  2. Obtenção de licença e cota de importação
  3. Obtenção de divisas
  4. Colocação do pedido
  5. Envio do pedido de compra
  6. Obtenção de documentos de importação aplicáveis
  7. Formalidades alfandegárias e desembaraço
  8. Fazendo pagamento
  9. Fechando transação

A Alfândega Apreende Mercadorias Falsificadas?

Absolutamente correto!

Os departamentos aduaneiros implementaram mecanismos rigorosos, que ajudam na apreensão de produtos falsificados.

É uma ofensa criminal importar ou exportar mercadorias falsificadas, e o devido processo será seguido para garantir que os culpados sejam levados à justiça.

Existem multas, penalidades e confiscos específicos impostos aos culpados e, em alguns casos, medidas punitivas são tomadas em relação aos perpetradores.

Uma Nota de Remessa Internacional (CMR) é uma prova de exportação?

Sim, de certo modo!

Este documento funciona principalmente como prova da identidade das partes contratantes quando são transportadas por estrada.

Ele fornece a confirmação de que o transportador está recebendo a remessa e existe um contrato de transporte entre o comerciante e o transportador.

Mesmo assim, há a necessidade de garantir que o CMR capture todas as informações importantes para que seja uma prova legível de exportação.

Quais são as desvantagens da importação e exportação?

Os negócios internacionais são bastante exigentes e, portanto, apresentam uma boa parcela de deficiências, que incluem o seguinte;

  1. Requer um investimento relativamente significativo para iniciar o negócio. Isso pode ser um desafio, especialmente para importadores e exportadores iniciantes.
  2. Existem várias burocracias envolvidas na obtenção da licença relevante para importação e exportação. Isso pode ser frustrante e cansativo e, ao mesmo tempo, levar a inconvenientes desnecessários.
  3. O negócio de importação tende a afetar negativamente a economia de um país, pois aumenta o desemprego e arruina a manufatura local.
  4. A exportação esgota os recursos naturais de um país, levando à perda de recursos tão valiosos que dificilmente podem ser reabastecidos.
  5. Aumenta a exposição a vários elementos, como doenças estrangeiras, que podem ser facilmente transmitidas através das remessas.

Quais países têm imposto de importação NIL?

Não há país que tenha imposto de importação nulo de commodities.

O que acontece é que isso depende do produto específico que você está importando de um determinado país.

Idealmente, o valor do imposto exigível é determinado pela classificação tarifária de importação de uma mercadoria, país de origem e país de importação.

Por exemplo, uma mercadoria trazida para o país X do país Y pode ter imposto nulo.

No entanto, o mesmo produto com a mesma classificação tarifária importado para o país X do país Z pode estar sujeito a uma determinada taxa de imposto.

Quem regulamenta os direitos de importação/exportação no transporte internacional?

As tarifas de comércio exterior e transporte marítimo internacional são baseadas na classificação de produtos do Sistema Harmonizado Internacional.

No entanto, existem blocos comerciais regionais em diferentes partes do mundo, que fornecem uma estrutura para o comércio internacional e transporte marítimo entre seus estados membros.

É isso – tudo o que você precisa saber sobre taxas de importação e taxas de exportação.

Para dúvidas ou perguntas sobre esses impostos, entre em contato com a equipe Bansar agora para obter assistência.

Voltar ao Topo